Conhecendo a Mitsubishi Cup

foto 1Depois da cobertura do Rally Erechim, muitas pessoas reconheceram nosso trabalho, nos elogiaram e mais que isso, abriram portas e novos horizontes pra gente.

Ao ler nosso post de Erechim, Damon Alencar (Navegador de Rally’s, 45 anos e quase 6 navegando) nos convidou para participar da 3ª Etapa da Mitsubishi Cup que ocorreu em Jaguariúna (Interior de São Paulo), etapa qual só estive no treino. Confira os detalhes da MitCup com a gente!
foto 2Recebido o convite mudei meu horário de trabalho na sexta, saí 11:30, almocei e peguei um pouco de estrada de Campinas até Jaguariúna.
foto 3Chegando no lounge, sem conhecer ninguém, pensei: “vou tirando foto de tudo até encontrar o Damon!”
foto 4A organização me impressionou, uma estrutura completa, digna de eventos internacionais ali no meio da poeira, me parecia um oasis em meio ao deserto.
foto 5Saindo do lounge fui em direção ao boxe 17 do Damon e do piloto Gustavo Martins. Chegando lá, nada de pilotos ou navegadores, apenas mecânicos fazendo regulagens de suspensão, soldando, regulando e trocando bancos. Aquilo fez com que meus olhos brilhassem.

foto 6

O ASX-R mantém as mesmas características do ASX vendido nas concessionárias da marca, incluindo o motor, câmbio e freios. O veículo, incluindo o motor, é produzido na fábrica da Mitsubishi em Catalão (GO), e preparado pela Ralliart Brasil em sua sede, na cidade de Mogi Guaçu, interior de São Paulo. Fonte: Ralliart Brasil

foto 7foto 9

foto 10

O ASX R tem transmissão Electronic Control 4WD e é equipado com motor 2.0 MIVEC, 16 válvulas, quatro cilindros em linha, injeção multipontos com controle eletrônico e potência de 172 cv e 23,1kgf.m, podendo atingir a velocidade máxima de 185 km/h. Fonte: Ralliart Brasil

foto 11Em conversa com um mecânico, pude entender um pouco melhor como funcionava o esquema de locação para a prova. Cada piloto/navegador paga uma quantia “x” por etapa, nessa quantia estão inclusos um seguro parcial do veículo, peças e mão de obra de mecânicos, além de translado, hotéis etc. Falando em peças se liga na quantidade:foto 12 foto 13 foto 14 foto 15Uma categoria pra quem, como eu, só quer a diversão da corrida, uma vez que se torna muito cansativo e desgastante aquela saga de andar, quebrar, arrumar, quebrar. Claro que essa é minha opinião, há quem goste justamente dessa parte, sujar as mãos, fazer parte do carro mecânicamente falando.

foto 16

As L200 competem em duas categorias, RS e ER. A L200 Triton ER (Etanol Racing) mantém a semelhança com o modelo de rua da marca, mas conta com chassi tubular e paineis de fibra no lugar de capô, portas, para-lamas e parachoque dianteiro. O motor é um V6 flex de 220 cavalos. A L200 Triton RS adota a mesma fórmula de chassi tubular e painéis em fibra, porém é equipada com motor V6 flex mais potente, de 271 cavalos. Fonte: Ralliart Brasil

E para esses, antes que falem mal dessa fórmula, há quem tenha suas equipes “não Mitsubishi” digamos assim.foto 17

foto 18

As conhecidas Pajero TR4 ER completam o grid: Derivadas do modelo de rua, competem na categoria TR4 ER e TR4 ER Master.

foto 19 foto 20 foto 21Na Equipe Rally SC, perguntei pro pessoal o porque das equipes “não oficiais”? A resposta que tive foi que o custo chega a ser menos que a metade do valor da equipe oficial caso não haja acidentes ou avarias graves nos carros, o que leva a alguns escolher por esse tipo de equipe!

Quando voltei para os boxes oficiais da Mitsubishi o Damon já estava dentro do carro pronto pra sair pro treino, só o comprimentei e lá se foi ele sumindo no meio da poeira!
Nessa hora sua esposa acompanhava tudo de perto e pude conhecê-la e conhecer mais um pouco da história do Damon e como ela se sentia sendo esposa de navegador de rally (haja coração amigo).foto damonFalando em esposa, a esposa do Damon não era a única acompanhando de perto:foto 22Quando o Damon e Gustavo voltaram eles conversaram com os mêcanicos para fazerem os acertos finais nos carros, ajuste de bancos e cintos etc.foto 23Depois disso passamos um bom tempo conversando sobre a carreira do Damon, sua iniciação ao rally e suas experiências, uma das quais se resumem a 3 letras: WRC. Sim ele além de navegar, também é aficcionado pelo esporte e pode estar ano passado, na Argentina acompanhando tudo de perto!foto 24Dando uma pausa na prosa, Damon me levou pra conhecer como funcionava a comunicação do carro e me mostrar o interior da ASX-Rfoto 25 foto 26 foto 27Depois de mais algumas fotos me despedi, mas como sempre, aquela água na boca de correr, de poder um dia participar de algo desse tipo. A cada dia que passa eu me torno ainda mais fã de rally.IMG_2192 IMG_2195 IMG_2210 IMG_2222 IMG_2236 IMG_2243 IMG_2279 IMG_2272 IMG_2294 IMG_2296 IMG_2297 IMG_2299 IMG_2305 IMG_2309 IMG_2332Agradeço especialmente o Damon pela oportunidade e amizade, Luciana pela companhia, Carol pelas dúvidas sanadas e também ao Thiago Marinelli e Felipe Massayuki pelo espaço no site de vocês. Como o lema diz #motorsportresistance! Por mais que tudo pareça estar acabando, faremos a nossa parte para que não só o rally, mas todo esporte a motor possa crescer, se popularizar e se tornar acessível a todos que são apaixonados por velocidade!

Um grande abraço!

Julio Nishikawa

NISHI MEDIA

RalliArt Brasil

Mitsubishi Cup

Confira o registro da etapa completa no site da Mitsubishi Cup aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s